Caixa de contato

15 3229 0202

contato@apice.med.br

apicemed

Fratura de Quadril

Ortopedia    13/09/2016


Imagem Artigo

FRATURA DE QUADRIL

O quadril é a região do corpo que compreende a articulação entre o fêmur e a bacia. É local comum de fraturas, que podem comprometer tanto indivíduos jovens (trauma de alta energia), quanto idosos (trauma de baixa energia). Neste último grupo, a qualidade óssea do paciente pode estar tão comprometida, que existem situações em que a fratura ocorre de forma espontânea, sem que haja uma história de trauma (o paciente quebra e depois cai).

A incidência desse tipo de fratura tem aumentado nas últimas décadas devido ao aumento no número de acidentes de trânsito, e ao envelhecimento da população, tornando-se um verdadeiro problema de saúde pública.

O tratamento dessas fraturas na maior parte das vezes é cirúrgico. Mesmo nos idosos, apesar de naturalmente encontrarmos um maior risco cirúrgico, indica-se a cirurgia de rotina. Manter um idoso sem a cirurgia, portanto acamado, está associado a um maior risco de complicações. Não é incomum a realização de procedimentos bem sucedidos em pacientes com mais de 90, 95, e até mesmo 100 anos de idade.

As técnicas cirúrgicas se dividem entre a fixação da fratura com implantes ortopédicos específicos, como placa e parafusos; ou a substituição da articulação fraturada por uma prótese de quadril. O tratamento cirúrgico deve ser instituído tão logo as condições clínicas do paciente permitam a realização do procedimento. A existência da fratura está associada a algumas complicações (escaras, pneumonia, estados confusionais, trombose venosa, e necrose do osso fraturado) que podem ter sua incidência diminuída com a realização do procedimento de forma precoce. O tempo de recuperação é variável, mas em linhas gerais pode levar de 6-12 meses. Um estudo americano mostrou que após um ano, 40% dos pacientes recuperaram a capacidade de andar prévia; 40% voltaram a andar, mas passaram a necessitar de uma bengala; 12% passaram a deambular apenas em casa; e 8% não conseguiram restabelecer a capacidade para andar.

Existem diversas medidas que podem ser aplicadas no cotidiano, visando à prevenção deste tipo de fratura. Devemos respeitar as leis de trânsito, e ter por hábito a utilização de itens de segurança preconizados. Nos idosos, o principal fator de risco para este tipo de fratura é a Osteoporose. A prática de atividade física, exposição solar controlada (30min pela manhã) e aumento da ingestão de cálcio (iogurte, queijo, leite, etc.) são fatores que auxiliam na prevenção e tratamento da osteoporose. Terapias de reposição hormonal, suplementação com Cálcio e Vitamina D, e uso de Bifosfonados também fazem parte do arsenal terapêutico da Osteoporose. Medidas para evitar quedas devem ser aplicadas nos ambientes, tais como: uso de tapetes antiderrapantes nos banheiros, colocação de interruptores elétricos próximos das camas, evitar uso de tapetes nos ambiente do domicílio e colocação de corrimão em escadas.

Dr Pedro Teodoro
pedroteodoro@apice.med.br
Dr Pedro é ortopedista especializado em Cirurgia de Quadril, e faz parte do corpo clínico da Ápice.