Caixa de contato

15 3229 0202

contato@apice.med.br

apicemed

Gota: você já ouviu falar nessa doença?

Outras Especialidades    09/04/2019


Imagem Artigo
Muitas pessoas costumam sofrer com crises de dor e inchaço nas articulações dos tornozelos, joelhos e, principalmente, do hálux (dedão). São os sintomas mais comuns da gota, doença que acomete principalmente homens adultos, com idade entre 40 e 50 anos.
Dra. Melissa Nobrega, médica reumatologista da clínica Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP), explica o que provoca os sintomas. “A gota é uma doença inflamatória, causada pelo excesso de ácido úrico no sangue, que se acumula e forma cristais que, por sua vez, se sedimentam nas articulações. Isso leva ao quadro inflamatório e, consequentemente, à dor”, conta a médica. “Há casos em que as crises se tornam constantes e a qualidade de vida diminui muito. Em situações mais graves, a dor pode ser intensa a ponto de limitar tarefas rotineiras, como andar, dirigir ou utilizar o computador”, completa.
O diagnóstico da gota é feito através de história clínica e exames complementares, como radiografia e dosagem de ácido úrico no sangue. “O exame de urina complementa o de sangue na aferição dos níveis de ácido úrico e a radiografia confere um panorama da gravidade e extensão do acometimento das articulações afetadas”, detalha a reumatologista da Ápice Medicina Integrada.
Com a confirmação do diagnóstico, é iniciado o tratamento, que envolve o uso de medicações e mudança no estilo de vida.  “Os quadros de dor aguda normalmente aliviam com o uso de medicamentos anti-inflamatórios, todavia é necessário introduzir medicações específicas, que controlam os níveis de ácido úrico no sangue e previnem o surgimento de cristais de urato e, consequentemente, a inflamação na articulação”, complementa a especialista.
Embora o tratamento medicamentoso seja eficiente, dieta pobre em purinas (frutos do mar, sardinha, miúdos) e baixa ingesta de álcool são essenciais para prevenir o surgimento de crises de gota. “O paciente portador de gota deve evitar dieta hipercalórica, pois leva à obesidade, que é um fator de risco para portadores de gota. Diabetes mellitus, aterosclerose e hipertensão arterial sistêmica também são doenças que estão muito associadas à gota”, alerta Dra. Melissa.
Pessoas com casos de gota na família também precisam ficar duplamente atentas, pois a hereditariedade é um importante fator que pode levar ao desenvolvimento do problema. “Não há cura para a gota, no entanto, com tratamento medicamentoso e não medicamentoso, atingimos o controle da dor, inflamação e prevenimos episódios futuros e deformidades, proporcionando excelente qualidade de vida aos pacientes”, conclui a médica.