Caixa de contato

15 3229 0202

contato@apice.med.br

apicemed

Dores fortes no peito e dificuldades em respirar podem ser derrame pleural

Cardiologia 22/12/2017


Imagem notícia
Dores fortes no peito e dificuldades em respirar podem ser derrame pleural
Causada por problemas respiratórios como pneumonia e tuberculose, doença provoca acúmulo de líquido nos pulmões

De repente atividades simples, como caminhar, tornam se cansativas e desafiadoras. Falta fôlego e o peito dói. A respiração fica ofegante, há tosse e dor intensa ao respirar fundo. Estes sintomas podem significar diversos problemas de saúde, dentre eles, o derrame pleural, popularmente conhecido como “água no pulmão”.

Quem fala sobre o tema é Dr. Sérgio Penteado, cirurgião torácico da Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP). “O derrame pleural é o acumulo excessivo de líquido entre o pulmão e a membrana que o separa do tórax, chamada de pleura. Todas as pessoas possuem uma pequena quantidade de líquido nesta região, que é produzido e absorvido pelo organismo, sistematicamente, mas, quando algo vai errado com a saúde, a absorção fica comprometida, acumulando excesso de líquido na pleura”.

Os principais causadores do derrame pleural são doenças relacionadas ao sistema respiratório. “O derrame pleural normalmente ocorre quando há a inflamação dos tecidos do pulmão ou da pleura, o que pode estar relacionado a quadros de pneumonia grave, tuberculose, câncer de pulmão, artrite reumatoide ou lúpus”, explica o médico. “Em casos mais raros pode estar relacionado a doenças como cirrose, insuficiência cardíaca ou problemas renais”, completa.

O diagnóstico desta doença é feito por meio de exames de imagem e análise dos sintomas. “Os sintomas apresentam a suspeita do derrame pleural, que é confirmado com uma radiografia, que mostra as áreas afetadas na região torácica”, detalha Dr. Sérgio.

O tratamento do derrame pleural ocorre em casos específicos. “Normalmente buscamos tratar a pneumonia, tuberculose ou qualquer que seja o causador do acumulo de líquidos na pleura. Desta forma, com a cura da doença, o líquido passa a ser reabsorvido pelo organismo, dando fim ao problema, no entanto, em casos mais graves, em que o acúmulo é muito grande, é preciso recorrer à drenagem, onde inserimos uma agulha na cavidade torácica e retiramos o excesso de líquido, o que libera espaço para o pulmão trabalhar melhor”, ilustra o especialista. “Dependendo do quadro do paciente, é necessário fazer várias drenagens, pois o líquido volta a acumular”, acrescenta.

Além do tratamento das doenças causadoras e da drenagem, também pode ser indicada a fisioterapia ao paciente. “O pulmão acaba tendo o seu tamanho reduzido, visto que estava pressionado pelo líquido acumulado. Por isso indicamos a fisioterapia, que por meio de exercícios respiratórios, fortalece e devolve a anatomia natural dos pulmões”.

A prevenção ao derrame pleural se dá com a atenção à saúde. “É sempre bom estar atento a sintomas de doenças respiratórias, como tosse, febre e dificuldades em respirar. Desta forma, as doenças que causam o derrame pleural podem ser diagnosticadas no início e tratadas antes que compliquem a ponto de acumular líquido na região. Também é importante manter um bom condicionamento cardiorrespiratório, obtido por meio de atividades físicas, e evitar o cigarro, que causa inúmeros problemas de saúde”, conclui Dr. Sérgio.

A Ápice Medicina Integrada fica na Rua Eulália Silva, 214, Jardim Faculdade, Sorocaba (SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3229-0202.