Caixa de contato

15 | 3229 0203

contato@apice.med.br

Sorocaba/SP

Obesidade prejudica desenvolvimento físico de crianças e adolescentes

Ortopedia 10/05/2018


Imagem notícia
Nas últimas décadas o estilo de vida da população brasileira passou por diversas transformações. Se antigamente sobrava tempo para crescer e brincar com amigos nas ruas, hoje a insegurança e a correria do dia a dia levaram a infância para dentro das casas e apartamentos, contribuindo para o sedentarismo e também para o aumento da obesidade entre crianças e adolescentes. Dados da Organização Mundial da Saúde e da Imperial College de Londres revelam que aproximadamente 13% dos meninos e 9% das meninas entre 5 e 19 anos, no Brasil, estão acima do peso. Em 1975, mais de quatro décadas atrás, estes mesmos índices não chegavam a 1% dentre ambos os sexos.

Esta grave realidade contribui não somente para o surgimento de doenças crônicas como a hipertensão e o diabetes, mas também colaboram para uma série de prejuízos ao desenvolvimento saudável da criança, como conta a Dra. Simone Simis ortopedista infantil da Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP). “Crianças e adolescentes ainda estão em fase de crescimento e o sobrepeso prejudica o desenvolvimento dos ossos e articulações. Por exemplo: crianças que estão aprendendo a andar, geralmente apresentam um arqueamento fisiológico dos joelhos (genu varo) que naturalmente se corrige por volta dos 2 anos de idade. O excesso de peso corporal pode dificultar essa correção”, explica.

Nas crianças maiores, o problema passa a ser outro. “O aumento do peso e da circunferência abdominal leva a alterações posturais importantes, como a inclinação da pelve para frente, o aumento da lordose da coluna lombar e encurtamentos musculares. A sobrecarga da musculatura glútea e dos joelhos pode levar à dor tanto nos joelhos quanto na região interna das pernas e pés, além de contribuir para a pisada excessivamente pronada (para dentro). Já foi documentado também que a obesidade aumenta o risco osteoartrose nos joelhos na vida adulta”, detalha a especialista, que completa: “O adolescente obeso tem predisposição para desenvolver o escorregamento epifisário do fêmur, doença grave que afeta a região do quadril e que requer tratamento cirúrgico imediato”.

O tratamento correto da obesidade infantil envolve equipes multidisciplinares. “É importante evitar a obesidade, mas caso ela já esteja instalada é preciso procurar ajuda médica. Forçar mudança de alimentação e praticar exercícios físicos indiscriminadamente pode trazer mais prejuízos à saúde, por isso é importante procurar um médico pediatra, que irá solicitar exames e a critério de cada caso, encaminhar ao profissional adequado, seja ele um nutricionista, endocrinologista, cardiologista ou ortopedista”, detalha a médica.

Uma das formas de trabalhar a prevenção da obesidade se dá com a adoção de hábitos saudáveis “            Praticar atividade física regularmente, como: brincar, correr, soltar pipa, andar de bicicleta, chutar bola, realizar tarefas domésticas, passear com o cachorro, pular corda, dentre outros. Também é recomendado deixar um pouco de lado os smartphones e computadores, que contribuem para o sedentarismo”, conclui a ortopedista.
A Ápice Medicina Integrada, fica na Rua Eulália Silva, 214, no Jardim Faculdade, em Sorocaba (SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3229-0202, pelo site: apice.med.br ou pelo Facebook: facebook.com/apicemedicinasorocaba.
Entre em contato