Caixa de contato

15 3229 0202

contato@apice.med.br

apicemed

Suicídio: aumenta o número de casos entre jovens

06/07/2018


Imagem notícia
Os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde sobre o suicídio revelam que houve crescimento no número de casos, sendo, atualmente, a quarta maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos.
O índice subiu de 5,3 casos a cada 100 mil habitantes, em 2011, para 5,7, em 2015. A pesquisa também revelou que quase 80% dos casos de suicídio são de homens. Destes, mais da metade são solteiros, viúvos ou divorciados.
Dra. Ana Paula Ribeiro, médica com especialização em psiquiatria da Ápice Medicina Integrada comenta as estatísticas: “Estes números indicam que um dos principais motivos que levam ao suicídio são os problemas familiares. São pessoas que sofreram com questões como a perda de um ente querido, ou então que vivenciam brigas, frustrações, falta de apoio familiar, desemprego e outras questões difíceis, que causam abalo psicológico e evoluem para a depressão quando não superadas e tratadas com o apoio de profissionais da área”, explica.
Muitas vezes a falta de informação contribui para a negligência em tratar o problema e para a evolução a este quadro extremo. “Muitas vezes os familiares não percebem que a pessoa se encontra em um momento difícil e não buscam ajuda, ficando surpresos quando o suicídio acontece, pois não soube identificar os sinais da depressão grave”, alerta.
E para conscientizar sobre este problema de saúde pública, Dra. Ana Paula elencou os principais indícios de depressão, que podem levar ao suicídio:
  1. Tristeza excessiva e isolamento: deixar de participar de atividades que antes gostava ou então de reuniões de família, faltar em aulas ou ao trabalho são sintomas de depressão, uma das principais causas de suicídio. Quem sofre com o problema normalmente não consegue perceber que está doente e entende que não é capaz de lidar com os problemas, ficando desmotivado e sem vontade de viver.
  2. Mudanças de comportamento: pessoas depressivas passam a não dar importância à aparência, utilizando roupas velhas ou sujas, além de descuidar da higiene, deixando crescer cabelo e barba além de não tomar banho. Há um desinteresse pela vida e pelas atividades. Além disso, a pessoa passa a se arriscar mais, usa drogas, busca o perigo e se alimenta inadequadamente.
  3. Resolver pendências: quem está com pensamentos suicidas normalmente busca quitar pendências. Pagar dívidas, doar objetos, visitar pessoas que não via há um tempo, ou seja, planejar uma despedida, como alguém que vai se mudar para outra cidade.
  4. Faz ameaças suicidas: a maioria das pessoas interpreta as ameaças como tentativas de chamar a atenção, pensando que quem quer cometer suicídio não faz ameaças, no entanto, é justamente ao contrário. As ameaças de suicídio são pedidos de socorro de quem está em depressão e nunca devem ser ignorados.
“Estes sinais são importantes indícios de que a pessoa já não consegue mais encontrar uma solução para seus problemas e planeja dar fim à vida. É importante ficar atento e, caso alguém de convívio próximo esteja passando por um momento difícil e apresente algum destes comportamentos, busque ajuda psicológica para esta pessoa. O tratamento da depressão é indispensável na prevenção ao suicídio”, conclui Dra. Ana Paula Ribeiro.