Caixa de contato

15 3229 0202

contato@apice.med.br

apicemed

Toxina botulínica: você sabia que é utilizada desde a década de 80?

Outras Especialidades 03/08/2017


Imagem notícia
As expressões, como sorrir, franzir a testa, apertar os olhos e até a mastigação, podem levar aos sinais comuns do envelhecimento. Uma das soluções mais rápidas e seguras para remover ou diminuir as rugas é o uso da toxina botulínica, ou “botox”, como é popularmente conhecida.
 
Segundo Dra. Bruna Ferreira, médica dermatologista da Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP), a substância, muito comum na prática dermatológica atual, é uma das mais importantes no campo do rejuvenescimento facial.  É aplicada para fins estéticos desde o final da década de 80, adquirindo aprovação para fins cosmiátricos pelo Food and Drug Adminstration (FDA), em 2002. “As toxinas botulínicas dos tipos A e B são substâncias purificadas, derivadas da bactéria Clostridium botulinum. Sua injeção bloqueia os sinais nervosos musculares, relaxando o músculo de modo que não se contraia e minimizando as rugas faciais indesejadas”, explica.
 
A principal indicação para o uso da toxina botulínica é a estética, especificamente em rugas de expressão, como linhas glabelares (ao franzir a testa), elevação do supercílio, pés-de-galinha, rugas periorais (“código de barras”), do queixo e do pescoço, correção de sorriso gengival, elevação da ponta do nariz e hiperidrose (excesso de suor). A aplicação é feita por meio de delicadas injeções, com ou sem anestésico tópico, nos locais a serem tratados. “Os resultados começam a aparecer cerca de 3 a 5 dias depois do procedimento, com resultado final em 15 dias”, detalha.
 
Apesar de ser um tratamento seguro, a médica alerta sobre a recomendação adequada por um especialista. “Existem contraindicações, como a presença de infecção na região da aplicação, hipersensibilidade aos componentes da fórmula, gestantes, lactantes, coadminstração de aminoglicosídeos, portadores de neuropatia motora periférica ou desordens neuromusculares. Por isso, é importante conversar com o dermatologista, pois só ele poderá avaliar os riscos e fazer a indicação adequada”, orienta.
 
A duração da substância é de 2 a 6 meses, podendo se estender, dependendo da força muscular e da resposta de cada organismo. “Com a reaplicação, a tendência é deixar o músculo mais enfraquecido, e assim, evitar as rugas. Porém, o processo de envelhecimento é progressivo e contínuo e os resultados podem não ser os mesmos com o passar dos anos”, pontua.
 
De acordo com Dra. Bruna, os cuidados dermatológicos com a pele devem começar o quanto antes para a prevenção das rugas e dos sinais de expressão. “Converse com o seu dermatologista para esclarecer dúvidas e, junto com ele, escolher o tratamento ideal”, finaliza.